quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Extravagâncias no show bizz

Há manias, objectos e atitudes que caracterizam os artistas, sobretudos os internacionais, aquando de uma tournée ou mesmo na sua vida privada. Ora porque querem dúzias e dúzias de rosas de cor e fragrância especifica, ora porque querem 20 toalhas brancas no camarim, ora porque querem ser acompanhados por 6 guarda-costas. Enfim, exigências de artistas que um contrato equivalente ao grau da sua fama pode pagar.

Cá entre nós, é conhecida a mania de Salimo Mohamed, que não faz um concerto sem o devido pagamento e se o mesmo tiver sido pago pela metade, o espectáculo também é pela metade (confesso que sobre isso apenas sei o que ouvi dizer, e cá entre nós, ele tem toda a razão de o fazer).

Tatuagens, piercings, kilos de maquilhagem, bijutarias e acessórios diversos, roupas extravagantes e indecentes, unhas de gel ou acrílicas, lentes de contacto coloridas (?) e extensões capilares (ruivas, loiras, pinks, doirado, quanto mais chocantes, melhor!) muito, mas muito brilho, fazem parte do actual quotidiano artístico nacional, na versão feminina.

Na versão masculina, roupas apertadas ou larguíssimas, que mostram algumas vezes os cós das boxers, cortes estravagantes de cabelo ou tranças, piercings, tatuagens, colares-corda e brincos à guisa de diamante, são alguns dos traços marcantes dos cantarinhos (expressão do Bayano – Nullius in Verba). Aliás, a mania ataca também certos apresentadores, sobretudo da área de entretenimento.

Claramente os nossos cantarinos dão mostras de que gastam e bem ou são bem patrocinados, pela sua boa apresentação diante do público, ainda que alguns vivam apenas de aparências. Nesse rol de extravagâncias, há algo que sinceramente choca: a moda dos óculos de sol!

A moda mais recente (possivelmente impulsionada por estrelas de outras constelações) é usar os óculos escuros em ambientes fechados: no estúdio (em entrevistas) ou na rua (a passeio), de noite (em discotecas ou em restaurantes) ou de dia (até em locais fechados!), não há meio termo: grande parte dos artistas em voga tem um par de óculos de sol colados a cara! Escusado é referir às imagens de capa dos Cd’s/ K7, os banners de espectáculos ou aos video-clips, óculos escuros, são a imagem de marca de qualquer um.

É verdade que as lentes actuais permitem uma boa visão em espaços interiores com luz artificial, mas acredito que os nossos cantarinos nem sequer tem tempo para olhar se os mesmos contêm filtros UV e há alturas em que não é apropriado manter os óculos escuros, por exemplo, quando pretende revelar algo importante a alguém (numa entrevista, por exemplo) ou quando o outro solicita a máxima atenção. Também, digam o que disserem, a nossa educação não permite esses e outros excessos.

Outro senão que salta à vista nesta “moda”, é a mania dos logos de grandes marcas. Sabendo-se que muito do que se vende por cá é contrafaccionado, pululam na rua, a chutos e pontapés, vendedores de óculos, com logos de marcas famosas, como D&G, a preço de banana: entre 75 a 120 mts e se se souber regatear, por um preço mais baixo ainda.

Os estilos dos óculos de sol variam do conservador ao escandaloso, e vêm em todas as cores concebíveis, sendo que o ultimo tipo é o mais escolhido. No entanto, os óculos escuros usados cada vez mais como item de moda podem acarretar problemas para os olhos pois a preocupação maior é “estar na crista da moda” e não proteger os olhos da intensa luminosidade do sol.

Reconheça-se o seu charme, e o facto de fazerem do seu utilizador um ser misterioso, apesar de encobrirem as janelas da alma, mas não basta escolher um modelo descolado, da moda ou com assinatura de um alto designer pois tudo em excesso faz mal!

PS: Lamentavelmente, e não sei porque razão, na minha barra de ferramentas Blogspot não se apresenta. Algo que não me permite colocar links nos artigos, usar o Negrito, Centrar o texto, etc, etc. Alguem me da alguma dica?

8 comentários:

Diva disse...

Hehehehe... E assim caminha o nosso show bizz... va-se la entender ;o))
Bjs meus

Jonathan McCharty disse...

He, he, Ximbi!
Tas tramada! Deste cabo do teu blog. Uma vez desaparecida, nao e' possivel recuperar a barra de ferramentas do teu blog....
Just kidding!
Na janela "Editar postagens", repara no canto superior direito. Existem 2 comandos "Editar HTML" e "Escrever". Se a tua barra nao aparece, e' porque o 1o comando e' que esta' activo! Neste caso tens que clicar em "Escrever" pra teres os teus botoes "queridos" de volta!
Se tiveres mais alguma dificuldade, e' so' apitares!!

ximbitane disse...

Hiii, Diva, menina sumida tu, hein? Fazer o quê? é o carapau que comemos!!! bjs

ximbitane disse...

SOS, Jonathan, SOS!

OFICINA PONTO E VIRGULA disse...

"Yá men" é uma das linguagens usadas para os “cantarinos” ‘é só fazer katsta’.

a) De óculos escuros, precipito-me em concluir que os nossos artistas (cantarinos) se calhar não conseguem em encarar o público

b) Alienação geral e absoluta do que os doutro mundo fazem e sabem porque fazem e o que estão a fazer...

c) Se calhar os óculos (as vezes específicos para sol) usados ou exibidos de noite, os cantarinos confundem-no como vistas ou pensam que ainda não anoiteceu ou ou....

Mas, em fim...está a dar e É SÓ FAZER KATSTA

Chacate Joaquim disse...

Oláaaaa... Ximbita!

Não só... já percebeu que o músico moçambicano não tem perfil! (quais são os atributos do nosso músico?) aí é onde iriamos separar o trigo do joio. Espero que tenha chegado amesagem, os músico precisam de se identifiram como lideres sociais não tanta coisa que andamos a assistir.

mais uma vez thanks

Chacate

ximbitane disse...

Ponto e Virgula, acredito que é do jeito que interpretas a coisa!

ximbitane disse...

Estas mais do que coberto de razao, Chacate. Sigo atentamente o debate que o Jorge Ribeiro esta a promover, quem sabe se no final nao sai um artiguzito sobre a questao?

Valeu, hein?!