sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Segredos familiares

A noção de família, de acordo com a lei da Família (nº 10/2004 de 25 de Agosto), artigo 1 diz que: “ A família é a célula base da sociedade, factor de socialização da pessoa humana.” O artigo seguinte, refere que “ a família constitui o espaço privilegiado no qual se cria, desenvolve e consolida a personalidade de seus membros e onde devem ser cultivados o dialogo e a entre ajuda”.

No seio das nossas famílias, há aqueles segredos que só uns e em grupo restrito da família tem conhecimento. Exemplos disso, para os que acreditam, são as idas aos curandeiros por inúmeras razões: a existência de algum primo ladrão, de uma irmã débil mental, em suma, os frutos pobres são bem escondidos.

Muitas vezes, quando se fala de casos de abuso sexual, constata-se que o violador é quase sempre alguém próximo da vítima, prova disso são os casos-padrão reportados em Inocência roubada ou Violador.

De há uns tempos a esta parte, amiúde são reportados casos de incesto que indignam toda uma sociedade, extravasando as nossas fronteiras de compreensão de actos hediondos pois na nossa cultura, a figura do pai é das mais respeitadas. Abalados ficamos com o acto incestuoso, abafado pela própria família, no qual pai engravidou a filha e desse acto resultou um rebento do sexo feminino.

Não satisfeito com o primeiro acto, já de si tenebroso, o mesmo individuo violou a rapariga resultante do primeiro acto incestuoso, ou seja, a sua filha-neta. A família, essa, como da primeira vez, continuou impávida e serena, afinal essa fruta podre é mais um segredo de família. Revoltada com o que lhe tinha acontecido, a filha-neta manifestou publicamente este acto impuro que em nada dignifica o verdadeiro sentido de família, logo de família moçambicana.

Acima da frustrante tentativa de reconstituição da arvore genealógica deste caso, está a vergonhosa atitude da família na pessoa da esposa do fulano (mãe e avó, das vitimas) e demais familiares que mais uma vez abafaram o caso em detrimento da salvaguarda da honra e bem-estar destas raparigas, logo, dos Deveres da família que visam:

a) Assegurar a unidade e estabilidade próprias;
b) Assistir os pais no cumprimento dos seus deveres de educar e orientar os filhos;
c) Assegurar que não ocorrem situações de discriminação, exploração, negligência, exercício abusivo de autoridade ou violência no seu seio;
d) Velar que age respeitados os direitos e os legítimos interesses de todos e de cada um dos seus membros.

Agora, os media reportam o caso de um pai de 60 anos que abusava sexualmente de duas filhas suas de 12 e 14 anos, em Inhambane. Teremos perdido a noção do papel da família? Por onde andam os valores que sempre regularam as famílias? Porquê desta inversão de papéis ou ainda que justificações existem para a troca de papéis nas nossas famílias?

6 comentários:

Chacate Joaquim disse...

OLÁ XIMBITA!

Es uma verdadeira pilar da familia ahahah para bens.

É assim, no livro de Moore Stephen (2002:36) prevé-se três funções da família após sua intitucionalização claro, "aprovisionamento da casa, produção e educação dos filhos e satisfação estável das necessidades sexuais".

Na verdade não existe uma explicação antropologicamente satisfatóio sobre porque é que pais e filhos ou irmão não podem se relacionarem sexualmente. ahahah... deve estar te arepiar. mas é assim mesmo temos que pegar no fugo.

Aciência Biológica veio encontar uma explicação sobre Mendel que afirma que os indivíduos da primeira geração filial de pais da linha pura são iguais entre si e iguais à um dos progenitores.

Logo, os pais e os irmão tem mais ou menos a mesma formação genética. O que os torna vulneráveis à doenças familiares.

É a que onde o Legislador veio pegar para interditar casamentos entre estes.

Para dizer que são reflexos do passado porque para o Homem moderno defacto isso não é possível que esteja a acontecer mesmo o pensamento de que o homem é chefe no sexo não é actual! Na verdade essas pessoas (os violadores) são vítimas da "insivilização"

Acredita Ximbita! se for a olhar com minuciosidade descubrirá que por de traz disto ha tradicionalismo

abraço

Yndongah disse...

Xim,

A violação sexual é dos crimes que consegue ser mais violento em termos psicológicos, do que do corpo em si.Concordo contigo em relação ao papel fundamental das famílias no que respeita ao suporte e desenvolvimento das crianças e adolescentes.Porém, este fenómeno deriva de factores socio económico, culturais, educacionais que estão muito além do contexto familiar.

A exclusão social que vulnerabiliza as mulheres e crianças, os hábitos culturais/práticas tradicionais, o acesso a educação, o medo de estigmatização, os tabus, a falta de instituições que possam dar atendimento/acompanhamento psicológico as vítimas entre outros, são factores que não só propiciam estes crimes mas também impedem que os mentores sejam denunciados.

Julgo que se deveria pensar em promover mais a interação entre as familias, associações juvenis/comunitárias, e outros grupos/intituições sociais, aumentar o volume das campanhas de sensibillização, discutir, pesquisar... de modo a minimizar estas práticas.

X!mb!t@nE disse...

É, CJ, não ha justificação para acto tão abominável, seja pela ciencia, pelo tradicionalismo ou qualquer outra crença. Violência não tem justificação sobretudo de instituições/pessoas que devem velar pelo bem estar das crianças/adolescentes.

X!mb!t@nE disse...

Subscrevo o que dizes, Yndongah. Por mim, se fosse para responder violência com violência, pai violador devia ser capado!

Jonathan McCharty disse...

Mana Ximbi e' nervosa, hein?....
Queres mandar capar o pai, hehe?
Por todo o mundo, tem sido reportados ultimamente este tipo de atrocidades. Um facto que achei curioso e' que em Portugal, pais que tem tido muitos casos reportados nos media, um traco comum da "demografia" dos perpretadores eram, "trabalhadores da construcao civil" ou "desempregados". Acho isso ser um caso para estudo. Eu acho que, talvez pela sua "condicao social" (empregos precarios, etc), estes individuos tenham a sua auto-estima fragilizada e ante um impulso sexual, nao se sentem a altura de lidar (sexualmente) com suas esposas ou potenciais amantes. Nesses casos, esses seres frageis e indefesos, e a distancia de um braco, acabam se tornando nas vitimas desses predadores. Mas a natureza humana nao se pode confinar em meras linhas comportamentais generalistas. Ha' casos de homens ricos, como o austriaco que ate' passava ferias na Tailandia e teve a sua filha encarcerada por 17anos, com a qual teve 7 filhos. Aqui talvez nos referissemos a perturbacoes mentais, algum trauma ocorrido al longo da vida sexual destes individuos ou tambem "greed": o facto de terem uma filha bonita (beleza que se calhar, ele nunca encontrou) e que nao seja outro cabrao a "comer".

X!mb!t@nE disse...

Capo sim, que nao ouse sequer ter pensamentos tao pecaminosos!