segunda-feira, 31 de março de 2008

Musas prostituidas

Nos últimos debates, na blogosfera, nos escritórios, cafés e lugares afins, muito se tem falado do Ziquismo, Fenómeno Ziqo ou seja da nova vaga de músicos moçambicanos pandza-dzukuteiros. Alguns, os defensores, dizem que ao menos a batida é boa (e é mesmo!) e outros, evidentemente os do contra, vão pela ladainha que já conhecemos e muito discutimos, por exemplo, na Oficina Ponto e Virgula e no Meu Mundo.

Tendo notado que nos debates acima citados pouco ou quase nada se falou doutros aspectos que circulam na esfera deste Fenómeno, refiro-me concretamente as donzelas (?) de curvas harmoniosas que se bamboleiam lascivamente nos
video-clips, encobertas por minúsculos retalhos de tecido onde quanto maior é o bambolear maior é a exposição ao “xilhamalisso”.

Paradoxalmente, os músicos não raras vezes, em fabulosos cenários de verão (digno das estrelas de Hollywood, afinal “Moçambique está sempre a subir”!) , na beira-mar ou mesmo em alto-mar (com direito a iates de sonho), apresentam-se vestidos com traje de Inverno: botas, casacos de cabedal, gorros e até cachecol. Um contraste verdadeiro à la mozambicaine!

Estas imaturas raparigas, que se alegram por terem (ainda) “tudo no devido lugar”, deixam-se aliciar por 1 minuto de fama ou por um punhado de meticais suficientes apenas para comprar um par de jeans txuna-baby, são musas prostituídas.

Corrompidas pelo piscar das luzes da ribalta, pelos sonhos de hoje (certamente pesadelos do amanhã), estas damas, não tem noção do quanto se expõe e que nada e nem ninguém salvaguarda(ra) seus direitos (períodos longos de exposição da sua imagem) pois não há contratos, tudo é na base da vontade e do momento.

Quo vadis jovem mulher moçambicana?

3 comentários:

OFICINA PONTO E VIRGULA disse...

Uma coisa para contar. Falando sério, a dois anos atrás desloquei-me à Nampula para visitar principalmente a minha querida mãe, então numa sentada a escutar a música do Denny OG, a minha mãe entende um pouco chichangana que é a língua dos Ziquistas, logo ela resmungava, eu perguntei a minha mãe o que estava a se passar respondeu o seguinte: Essa é música ou discussão? Eu disse que era a música da moda maputiana. Ela respondeu que as coisas mudaram, insultos aos mais velhos.

Epa, eu fiquei a sorrir.

E acabou a estória não a história

OFICINA PONTO E VIRGULA disse...

1.Tanto as mulheres com “m” minúsculo e homens com “h” macho de humilhação da mulher e machista partilham mesmos intentos nessa querela de músicas.

2.Falo concretamente na fama, está na moda e virou de vício em Moçambique em particular algumas pessoas querem aparecer em diferentes maneiras e meios. Permito-me dizer que isto é resultado da sociedade da imagem onde quem mais aparecer no ecran ele está vivo e é vivo mesmo não dizendo nada.

3.O conteúdo da canção representa aquilo que é a vida prática desses cidadãos (a marginalização da mulher e a mulher a submeter-se para ser famosa e estar na curtição a procura de ser super woman).

4.O sexo é desvendado em diferentes meios, agora na música e alvo a música.

5.O consumidor da música dos Ziquistas é o cidadão que vive na cidade e detém a posse de dinheiro.

6.Alguns lutam para atingir o topo da California.

7.Lutam para atingir o topo do Snoop Dog Dog, 50 Cent, Eminem, e outra malta lá por terras dos EUAs. Recordar que Snoop Dog Dog esteve incarcelado na Suécia a duas semanas atrás suspeito de uso de narcóticos, estava com uma mulher de 20 anos, vejam.

Abraços

ximbitane disse...

Pois, Ponto e Virgula, que a mulher sempre serviu de fonte de inspiração para as diferentes formas de expressão cultural, lá isso é verdade.

Agora, quando o "xilhamalisso" (o que provoca espanto, tradução livre) fica exposto, arranhando a banalização, sobretudo em canais de massa e em horários de fluxo descontrolado (pais ausentes,na luta pelo pão) é realmente caso para perguntar, aonde vamos?

Acharão estas raparigas (e rapazes, afinal são estes que até palmadas na bunda as dão!) que o facto de se exporem tão vergonhosamente serão descobertas pelos produtores woolidianos que tem envadido o país em filmagens?