terça-feira, 30 de março de 2010

Quem de direito?!

Entope a fossa do prédio, à porta da casa do senhor Venâncio. Intranquilo com o aspecto que isso dá e, sobretudo com a sua integridade fisica e de sua familia, o senhor Venâncio solicita a colaboração de todos os vizinhos do prédo, afinal a fossa é geral, apenas a tampa saltou em frente de sua casa. Porém, todos fazem ouvidos de mercador e aconselham o azarado vizinho a procurar quem de direito.

Noutro cenário, os guardas das casas da zona, varrem os quintais, os passeios em frente às casas para as quais prestam serviço. O lixo resultante dessa limpeza é jogado na sarjeta bem a berma da estrada. Passado algum tempo, chove que se farta. A pressão das aguas sobre as sarjetas entupidas obrigam a que estas façam um desvio e se espalhem quintal adentro, e, no máximo dos azares, dentro da própria casa. O que fazer ? Que venham daí quem de direito !

Os vasculha-lixo, na sua incursão aos contentores, espalham o lixo todo. Os homens da recolha de lixo, com a função de recolher lixo acondicionado nos recepientes apropriados, muitas vezes sem intrumentos para varrer e recolher o lixo, espalhado fora do contentor, apenas recolhem o existente dentro dos recepientes apropriados. Indignados, todos reclamam o mau serviço prestado pelos outros. Que venha quem de direito recolher esse lixo !

Mas afinal, quem é quem de direito ? Quando é que nós mesmos vamos fazer alguma coisa para o nosso próprio benefício ou para o benefício da colectividade ou grupo sem esperar que venha esse tal de quem de direito ? Esse quem de direito dele só nos pode ser útil quando passamos por aflições ? No final de contas, de que direitos quem de direito deve velar e salvaguardar?

2 comentários:

Chacate Joaquim disse...

Ximbitane, lembra-se das insustentabilidades dos planos de parcelamentos dos bairros na Matola?


É exactamente disto que estou a falar, quem cria problemas nesse sentido são as próprias autoridades de viciados!

Matola não há uma Lixeira concebida como tal são arranjos que perigam a vida dos munícipes!

Mais, as coisas piorárão com a actual escolha do "nosso glorioso partido"... sim porque com o C. Tembém havia luz verde.

Ximbitane disse...

Hehehe, Chacate, Chacate