sexta-feira, 31 de outubro de 2008

E se a moda pega?

Recebi, de um amigo, um link que é deveras curioso, pelo menos para a nossa realidade com cunho tradicional e moralista para determinados assuntos. O link refere-se aos itens que as profissionais do sexo devem ter para ser verdadeiras profissionais, na óptica, vinque-se, do Ministério do Trabalho e Emprego.

Veja aqui

10 comentários:

Avid disse...

Pois é minha quida… Cada vez mais a preocupação com as “profissionais do sexo” aumenta tendo em vista diminuir aquilo que são as nocividades dessa velha forma de se ganhar dinheiro ( nem tão fácil como dizem). Encontrar formas coerentes e eficazes porém, torna-se difícil. Dai… encontrar “coisas” como o que o link propõe. Sinceramente, na nossa realidade isso parece-me utopia, mas como o pais da marrabenta é especialista em seguir os passos de outrem… a ver vamos.
BFDS

Bjs meus

SHIRANGANO disse...

Se a moda pegar aqui (o que não vai levar muito tempo para acontecer), ai yaya ai...Deus nos acuda!

X!mb!t@nE disse...

A mim já nada admira! Se até estudantes universitárias criam ambientes de prostituição de luxo...

Pode até ser que o MITRAB não faça como o caso em apenso, mas que os itens poderão ser miniciosamente copiados, ah, lá isso serão. Pode até tardar, mas não falhará

Nelson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nelson disse...

Ai ai ai ai....
Olhando para o drama da "Rua das Zimbabweanas" no Makinino da nossa (minha e do Deviz Simango)Beira temo que alguns dos itens desse link, ja estejam bem a ser considerados. E se a moda pega?

Chacate Joaquim disse...

Ai está Ximbita!

Porque ficamos mesmo numa mistura sem denominação. já imaginou um casal de homossexuais ou lésbicas na aldeia de Massangena?

Basta de importação...

abraços

OFICINA PONTO E VIRGULA disse...

Acho eu que se ha profissionais de sexo mulheres e porque ha homens que sao tambem profissionais, ainda que legitimam essa profissao.

Agora, achar que isso e a falta da higiene moral, penso que e pensar negativamente, visto que os que argumentam contra na sua maioria nao procuram entender as causas e os (as) fomentadores (as) por um lado e por outro `sacralizam´ a mulher como mentora disso.
O triste è que temos profissionais de sexo assim dito, enquanto nao as sao, pese embora aparentem, mas eu vejo que elas ainda precisam daquelas competencias acolà colocadas no site que a Xim direccionou-nos.

Aquele abraco.

X!mb!t@nE disse...

E se a moda pega, mano Nelson? Parece que por ai essas damas da terra do tio Mugas tomaram conta do pedaço e nem olham bolsos para amealhar quinhentas... Vale tudo!

X!mb!t@nE disse...

CJ, nem quero imaginar. Mas um dia isso ira acontecer, escreve o que lhe digo. Nhamussoros e tinhangas serao chamados para exorcizar esse espirito do estrangeiro, mas la isso acontecera!

Isso faz-me lembrar uma historia que ouvi pequena e ainda nao entendia la eu muito bem da historia, mas os petizes la da banda andavam, entre eles, a imitar o que os burros faziam... Nem tudo sao genes!

X!mb!t@nE disse...

Ponto e Virgula, é justo o que diz. Quer-me parecer que profissionais nao temos, ou se temos sao em numero reduzido. Temos é amadoras, que se fazendo passar por "profissas", vao fazendo o "servicinho"